sexta-feira, 24 de julho de 2015

Regras práticas para grafia e emprego dos porquês



1) Separado e com acento circunflexo (por quê)

Quando constitui o último elemento da frase.
Caso surja no final de uma frase, imediatamente antes de um ponto (final, de interrogação, de exclamação, etc..) ou de reticências, a sequência deve ser grafada por quê, pois, devido à posição na frase, o monossílabo que passa a ser tônico.

Eles se inscreveram, por quê?
Ela está chorando sem saber por quê.
Estudei bastante ontem à noite. Sabe por quê?
Será deselegante se você perguntar novamente por quê!

Tudo é proibido, e eles não têm nenhuma ideia por quê e não lhes ocorre levantar a questão. (Freud - Totem e tabu e outros trabalhos)


2) Separado e sem acento (por que)

a) Quando numa interrogação direta ou indireta não se acha no fim da frase.

Por que você não se manifestou antes?
Quero saber por que não aceitaram meu aval.
Desejo saber por que você voltou tão tarde para casa.
Por que você comprou este casaco?

Por que, pode-se perguntar a essa altura, devemo-nos preocupar a tal ponto com esse enigma do tabu? (Freud - Totem e tabu e outros trabalhos)


b) Há casos em que por que representa a sequência preposição por + pronome interrogativo que, equivalendo a pelo qual, pela qual, pelos quais, pelas quais, por qual razão, por qual motivo.

Estes são os direitos por que estamos lutando.
O túnel por que passamos existe há muitos anos.
Ignoro o motivo por que (= pelo qual) se atrasaram.
As ruas por que (= pelas quais) passei estavam alagadas.

A questão do motivo por que (= pela qual) a atitude emocional para com os governantes inclui um elemento inconsciente de hostilidade tão poderoso levanta um problema muito interessante, mas que se situa fora dos limites do presente estudo. (Freud - Totem e tabu e outros trabalhos)


3) Junto e sem acento (porque)

Quando é conjunção coordenativa explicativa ou subordinada causal.
Equivale a pois, visto que, já que, uma vez que, por causa de que, como ocorrendo principalmente, em respostas.
Costuma ser utilizado em respostas, para explicação ou causa.

Corram, porque a chuva não vai demorar.
Devem ter viajado, porque o portão está chaveado.
Vou ao supermercado porque não temos mais frutas.
Você veio até aqui porque não conseguiu telefonar?


Pode parecer que descobrimos assim os motivos que levaram os nativos australianos a estabelecer suas restrições matrimoniais, mas vamos agora saber que o estado de coisas real revela uma complexidade muito maior e, à primeira vista, desconcertante, porque (visto que) existem poucas raças na Austrália em que a barreira totêmica constitua a única proibição. (Freud - Totem e tabu e outros trabalhos)


4) Junto e com acento circunflexo (porquê)

A forma porquê representa um substantivo.
Significa causa, razão, motivo e normalmente surge acompanhada de palavra determinante, como um artigo, por exemplo.

Tudo na vida tem o seu porquê (= motivo).
Ele deve ter os seus porquês (= motivos) para agir assim.
Não consigo entender o porquê de sua ausência.
Existem muitos porquês para justificar esta atitude.
Você não vai à festa? Diga-me ao menos um porquê.


Resta-nos dar uma explicação dinâmica do (de = o) porquê de o ego adormecido se dar o trabalho da elaboração onírica. A explicação, felizmente, é fácil de encontrar. (Freud - Moisés e o monoteísmo Esboço de psicanálise)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Língua Portuguesa: Correção de Frases

Estudando a Lingua Portuguesa

Aulas de Português Grátis